PROJETOS CIENTÍFICOS





VideoZine

Fanzine Telemático Editado entre 1990e 1991 no sistema VIDEOTEXTO brasileiro. Um experimento Subliminar Telemático.
Saiba mais >>>




Cidade Arco-Íris

A aplicação prática de uma intervenção no Ecossistema Visual Urbano da cidade de Santos (SP), criando um código subliminar de localização instantânea.
Saiba mais >>>




Cidade Fractal

Um complexo estrutural auto-similar, no qual a casa, o bairro e a cidade são repetições de um mesmo padrão fractal.
Saiba mais >>>




Laboratório de Holografia

A Holografia apresenta-se como tecnologia da luz empregada para geração de imagens de alta tecnologia cujas aplicações são virtualmente ilimitadas.
Saiba mais >>>








  PROJETOS CIENTÍFICOS




Núcleo de Pesquisa e Produção de Histórias em Quadrinhos.

( NPPHQ) e Revista “Fêmea Feroz” (ISSN 1415-0255).

Coordenador: Doutor Flávio Mário de Alcântara Calazans, Livre-Docente.

Outro projeto de pesquisa o qual também chegou a apresentar resultados internacionais relevantes foi a idealização e organização do protótipo experimental de um Núcleo de Pesquisa e Produção de Histórias em Quadrinhos no Instituto de Artes da Unesp, agrupando e envolvendo cerca de 20 alunos do primeiro ao quarto anos dos cursos de bacharelado e licenciatura, além de alunos da Pós-Graduação do I.A., somando esforços com autores de HQ autoral do bairro do Ipiranga (serviço à comunidade e divulgação científica) com o apoio dos professores produtivos e atualizados do I.A. da UNESP e com correspondentes em outras Universidades, outros Estados e outros Países.

Tal projeto estimulou a produção de peças da Nona Arte , tanto por parte dos membros do corpo discente quanto do docente, além de diversas exposições, palestras de divulgação científica, dois cursos de reciclagem para professores na Unidade de Ensino e Pesquisa CEPEL da Unesp (Centro de Ensino e Pesquisa do Litoral), um curso de Quadrinhos como Instrumento Didático na APEOSP para professores da rede pública, uma disciplina ministrada no curso de mestrado do I.A. com diversos alunos ouvintes da graduação (gerando a sinergia e massa crítica necessária), aprovação e apresentação de “Paper” em Congressos Científicos, um Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Artes do I.A.) e a publicação de uma revista colorida , com tiragem de 12 mil exemplares, com impacto midiático em 60 mil leitores distribuída comercialmente em Livrarias e Bancas de Jornais de todo o Brasil : “ Fêmea Feroz “ (ISSN 1415-0255) cuja existência no mercado com anunciantes e patrocinadores veio corroborar com minhas dúvidas e meus questionamentos sobre o potencial dos alunos quando estimulados e motivados, alunos talentosos e promissores , criativos e empreendedores com uma efetiva e notável contribuição para o Mercado de Trabalho.

Em conformidade com o texto do projeto, o Objetivo Imediato (Principal) foi a publicação de uma revista de Histórias em Quadrinhos que escoasse a produção de Quadrinhos de Autor (De Arte) já existente na UNESP, incentivando novos autores a produzir e amadurecer seu estilo e técnica devido ao contato sinérgico com autores mais experientes nacionais e internacionais (os próprios alunos sugeriram e votaram o nome “Fêmea Feroz” sem sugestões ou interferências docentes).

E o Objetivo Mediato (Secundário) seria a formação de um grupo de pesquisa plástica multimídia e intermídia , produzindo quadrinhos experimentais com base em referencial teórico e acompanhados pelos professores, projeto que poderia culminar na formação de massa crítica e sinergia em progressão geométrica, progressivamente instaurando uma “Cultura” no I.A. com reforço da auto-estima e amor-próprio dos alunos, tão abalados no quadro didático-pedagógico vigente quando de meu ingresso.

A Justificativa, além de escoar material, incentivar produção, satisfazer a função de Difusão Cultural da Universidade por meio do “EDUTAINMENT” (“education + entertainment” educação por meio do entretenimento, aprender com prazer, ver www.calazans.ppg.br ), abrir um espaço autoral inédito no Mercado Editorial brasileiro de 1994-1995, é também o esforço educacional de trazer maior abertura a mentalidades estreitas, preconceituosas e retrógradas que temem inovações tecnológicas nas artes, recusando a Programação Visual (Que remonta a Bauhaus) e negando o status de arte ao Cinema e às Histórias em Quadrinhos, já há décadas reconhecidos na Europa.

O projeto teve aprovação pela “Lei de Incentivo à Cultura” do Ministério da Cultura (Brasília), Lei Rouanet, obteve “sponsoring” (patrocínio-mecenato) como Marketing Cultural pela rede de emissoras da Rádio e Televisão Bandeirantes, com inserções em cobertura nacional, página dupla anunciando na revista e entrevista no programa líder de audiência no Público Alvo: “H” do showmen Luciano Huck, na época do BOOM de audiência do Fenômeno “Tiazinha”.

Devido a qualidade internacional do projeto, este obteve convite a participar do “VII Jornadas de Banda Deseñada de Ourense-Galicia -ESPAÑA” 06 a 12 de outubro de 1995, conforme fax recebido no I.A.: ”No referente a invitacíon às jornadas, solo podemos ofrecerlles estância de dois dias”, tendo sido aprovada pelo júri internacional e inserida na exposição , constando no catálogo como um dos representantes do Brasil, juntamente à revista “B@r@t@” que edito desde 1979. “Fêmea Feroz” também participou a convite da “Terceira Exposição Universal de Fanzines e Publicações Alternativas” a FANZINE-FAIR do município da Almada-PORTUGAL , dezembro de 1995.

Sem com este sucesso ausentar-se de eventos brasileiros, por exemplo: participando a convite da Terceira Bienal Internacional de Quadrinhos do Rio de Janeiro, 09 a 19 de novembro de 1995.

Marcando presença também em eventos municipais, sem desprezar nenhuma oportunidade de ocupar espaços midiáticos de Difusão Cultural, como: “Semana PrudenShopping de RPG e HQ” o “Primeiro Encontro de Role Play Games e Histórias em Quadrinhos de Presidente Prudente”, 10 a 13 de outubro de 1995, e outros.

Matérias divulgando na mídia o projeto:

FOLHA DE SÃO PAULO , 11 de abril de 1998, ilustrada 4-9.

O ESTADO DE SÃO PAULO, 03 de janeiro de 1997, caderno 2 , p. D19.

O ESTADO DE SÃO PAULO, 19 de março de 1998.

INTERNET: http://www.estado.com.br/jornal/97/01/02/femea02.htm , capturado no dia 19 de março de 1998, às 23:02, texto em duas páginas.

A TRIBUNA DE SANTOS; 13 de outubro de 1995.

JORNAL DA UNESP julho de 1997, número 115, página central.



A revista com as obras dos alunos consta do acervo de diversas entidades de pesquisa internacionais, tais quais: Museu de Histórias em Quadrinhos-Angoulème-FRANÇA ; Fanzinoteca de Poitiers-FRANÇA; Bedeteca de Lisboa-PORTUGAL; Casa da Juventude-Ourense-ESPANHA; Colectivo Fanzinex-ESPANHA, Fábrica de Cultura de Almada-PORTUGAL, e no BRASIL na Biblioteca Nacional (RJ); Gibiteca de Curitiba-Paraná; Gibiteca Henfil-João Pessoa-Paraíba; Gibiteca Henfil-São Paulo-SP; Gibiteca Marcel Rodrigues Paes-Santos-SP, Núcleo de Pesquisa sobre Histórias em Quadrinhos-ECA-USP, Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas de São Paulo-SP, etc.

O projeto também foi apresentado pelos alunos : André Vilela, Fabíola Formicila, (Educação Artística) e Hilário Ribeiro Filho, Georgia Robles, Gerson Huang Kae Tung (Bacharelado em Artes) na reunião do Grupo de Trabalho Humor e Quadrinhos, no XIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação-Intercom, em Londrina-Paraná, 1996, sendo debatido com 280 artistas e pesquisadores presentes, de todo o Brasil.

Também obteve apoio e recomendações-elogios de diversos artistas reconhecidos e atuantes internacionalmente da NONA ARTE:

Antônio Amaral, Flávio Colin, Júlio Shimamoto, Laudo Ferreira Júnior, Joacy Jamys, Edgar Franco, Gazy Andraus , Henrique Torreiro e outros.

Pesquisadores responsáveis pelo projeto:

Criador e Coordenador:

Doutor Flávio Mário de Alcântara Calazans- LIVRE DOCENTE em 2002, Fundador e Coordenador de 1995 a 2000 do GTHQ na INTERCOM.

Professores do Instituto de Artes da Unesp a participar do projeto:

Doutor Pelópidas Cipriano de Oliveira, .

Doutor Albeto Tsuyoshi Ikeda, .

Livre-Docente José de Arruda Penteado.

Correspondentes em outras Universidades:

Doutor Antônio Luiz Cagnin-ECA-USP.

Doutor Henrique Magalhães-Universidade Federal da Paraíba.

Doutor Moacy Cirne-Universidade Federal Fluminense-Rio de Janeiro.

Mestre Edgard Guimarães-ITA-São José dos Campos.

Jornalistas -Administração de Mídia:

Gabriel Bastos Júnior-ESTADO DE SÃO PAULO.

Érico San Juan-Diário de Piracicaba.

Worney Almeida de Souza-Notícias Populares.

Fernando Vieira- Jornal Barlavento-Portimão-Portugal.

Fabrício Grellet-Jornal de São José dos Campos-SP.

Alexandre Barbosa-Coluna “Balão do Bar”, Suplemento Tribu-A Tribuna-Santos-SP.

Pedro de Albuquerque-FOLHA DE SÃO PAULO.

O Núcleo de Produção e Pesquisa de Histórias em Quadrinhos aguarda um momento politicamente mais oportuno de retomar crescimento e continuar suas atividades.

BIBLIOGRAFIA

CALAZANS, Flávio Mário de Alcantara. Cartilha de direito autoral. São Paulo, Associação de Quadrinhistas e Caricaturistas de São Paulo, 1986.

Pioneiro estudo do direito autoral da HQ. Ensina a registrar personagens, HQs e dá elementos de Direito Contratual para Hqs.

__. (org) As histórias em quadrinhos no Brasil: teoria e prática. [ Intercom-Unesp/Proex] , São Paulo, 1997, (Coleção GT da Intercom volume 7).
Coletânea de depoimentos de autores e pesquisas sobre HQ apresentadas no GTHQ do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação-Intercom, dividido em Núcleos Temáticos como Memória da HQB, Produção Alternativa, Ciência e Tecnologia, incluindo uma extensa bibliografia comentada por Calazans.

__. Histórias em quadrinhos segundo o paradigma de Peirce. Leopoldianum, UNISANTOS,
16 (47): 77-86, 1990.

Estudo da Semiótica da HQ de vanguarda, sua composição de página paratática, simultaneidade narrativa e transição dos eixos paradigmáticos e sintagmáticos, ilustrado com autores como Devil (Saga de Xam).

__. As mensagens subliminares nas histórias em quadrinhos. Leopoldianum, UNISANTOS,
18 (51): 47 – 50. 1991.

Levantamento de depoimentos de autores como Alan Moore e Will Eisner que confessam empregar mensagens subliminares. Histórico destas técnicas.

__. Para entender as histórias em quadrinhos. Comunicação e Arte, ECA / USP, ano 12,
16:1995-204, 1986.

Estudo de HQ de vanguarda e suas relações com outras formas de arte como teatro, cinema, literatura, artes plásticas, etc. Cita autores brasileiros.

__. Propaganda subliminar multimídia. 6. Edição. São Paulo, Summus, 1996. (Coleção
Novas Buscas em comunicação, v.42)

Estudo descritivo quadro a quadro das mensagens subliminares de uma HQ engajada (p.86-94). Registro da história do merchandising na HQ de 1930 (p.70) aos brasileiros (p.79).








  PROJETOS CIENTÍFICOS




Propaganda Subliminar Multimídia

Pesquisador:

Flávio Mário de Alcântara Calazans, LIVRE-DOCENTE pela UNESP e DOUTOR pela USP

Podem ser coletadas e classificadas signagens subliminares veiculadas-divulgadas no mercado de telecomunicações (Midiosfera) brasileiro? Assumindo tal problema esta pesquisa propõe-se a dar continuidade à linha de investigação em construção desde o mestrado e doutorado do autor (1).

Objetiva-se, pois, identificar e decupar analiticamente signos midiáticos que contenham subliminares, para desenvolver uma Semiótica Subliminar enquanto inserida em uma Midiologia Subliminar (Exemplificadas nos websites da Internet: http://www.calazans.ppg.br e http://br.egroups.com/files/subliminar/.) colaborando para a construção Epistemológica do paradigma BIOMIDIOLOGIA.

A carência de bibliografia brasileira, com apenas um livro (1) e a notória escassez de fontes na literatura internacional justifica empreender-se tal pesquisa de tipologia exploratória nesta fase histórica do “Estado da Técnica” de mensagens subliminares em um quadro de inovações tecnológicas tanto em mídia impressa quanto na eletrônica que permite novas signagens imperceptíveis ao consumidor-eleitor inconsciente, o que levanta questões de ordem ético-jurídicas a serem desenvolvidas paralelamente.

Os Procedimentos Metodológicos empregados são dedutivos, com hipótese da categoria intuitiva em fases como: levantamento e fichamento crítico da literatura; a coleta, classificação em categorias-tipologias e decupagem-análise de espécimes no mercado midiático brasileiro contemporâneo, o estudo de caso das peças publicitárias ou não mais relevantes por meio de métodos dedutivos oriundos das "Ciências da Linguagem" como Leitura Semiótica, Hermenêutica, e outras que enquadrem-se ao estudo de caso, como as leis da Psicologia da Gestalt e do Behaviorismo.

Como resultados, podem ser publicados artigos em revistas e/ou apresentadas comunicações em congressos e/ou publicados livros (cumprindo a quota de 2 produtos por ano na média quinquenal).

O projeto conta com a colaboração dos alunos e orientandos na coleta de espécimes, e seus resultados revertem em discussões em classe de casos atuais retratando o ESTADO DA TÉCNICA, KNOW –HOW , SAVOIR FAIRE.

Palavras-Chave:

Específicas: Propaganda Subliminar, Iconesos.

Genéricas: Multimídia (Mídia Impressa e/ou eletrônica), Mercado Midiático, Publicidade, Marketing (Mercadologia), Semiótica, Midiologia, Novas Tecnologias, Hermenêutica, BIOMIDIOLOGIA.

BIBLIOGRAFIA CITADA:

(1) CALAZANS, Flávio. Propaganda Subliminar Multimídia. 6.edição, São Paulo: Summus Editorial, 1999.








  PROJETOS CIENTÍFICOS




GLOBAL DISNEY AUDIENCES PROJECT

Outra pesquisa internacional realizada sob a supervisão de Calazans foi “GLOBAL DISNEY AUDIENCES PROJECT “ uma avaliação internacional de todos produtos culturais multimídia da marca Disney, em quatro fases:A) questionários, B) entrevistas, C) avaliação de Marketing dos filmes de Televisão e Cinema, video-games , histórias em quadrinhos, CDs e merchandising, e D) estudo de casos regionais; objetivando mensurar efeitos da exposição midiática aos produtos multimídia-intermídia Disney, influências, eficácia ideológica-mercadológica etc. A pesquisa cobre a circunscrição cronológica dos anos 1930 a 1998, e espacial-geopolítica global (USA, UK, Grécia, África do Sul, Japão, Austrália, Slovênia, Noruega, India, Dinamarca, Brasil, Canadá, Coréia, México, e outros países). Após cruzamento dos dados codificados e tabulados, será realizada a análise inter-cultural pela equipe internacional, comparando dados de todos os países envolvidos, os resultados parciais foram apresentados em mesa redonda em Glasgow, na reunião da IAMCR (International Asociation of Mass-Comunication Researchers) em julho 1998, sendo prevista a publicação em livro para o ano 2000.

O Brasil mostrou-se atípico no panorama do Continente Americano, pois, ao contrário dos outros países, os títulos das revistas da linha Disney NÃO são líderes de mercado, sendo que um fenônomeno local isolado brasileiro desbanca a linha norte-americana, Maurício de Souza tem as primeiras colocações em vendas de títulos e merchandising, com Mônica e Cebolinha ocupando primeiro e segundo lugares no Top de Marketing, seguidos de revistas de modismos midiáticos da rede globo de televisão (Xuxa, Senninha, Trapalhões, etc) deixando a linha Disney em quarto lugar no SHARE OF MARKETING com o Pato Donald (Ao contrário dos USA e semelhante a outros países latinos, confirmando a obra clássica de Dorfman e Matellart, “Para ler o Pato Donald”) e quinto com Tio Patinhas.

Equipe Brasileira

Coordenador para o Brasil:

Doutor Flávio Mário de Alcântara Calazans.(UNESP).


Grupo de Pesquisadores:

Doutor Roberto Bazanini ( PUC-SP);

Doutorando Robert Elítio de Santos (ECA/USP);

Mestre Antônio de Andrade (UMESP).


Coordenadores Internacionais:

Janet Wasko, University of Oregon.

Mark Philips, University of Oregon.

Eileen Meehan, University of Arizona.


Coordenador para os países Lusófonos:

Raul Reis, California State University.

Raul Reis apresentou, a meu convite, o nosso relatório parcial no GTHQ do Intercom 1999 na Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro, GTHQ que eu coordenava, citando-me como supervisor geral do projeto à primeira nota de pé de página, como prova e registro da experiência internacional.

07 de Setembro de 1999,

14 horas, Rio de Janeiro.

REUNIÃO DO GT 24-HUMOR E QUADRINHOS.

COORDENADOR: Doutor Flávio Mário de Alcântara Calazans, UNESP

DEBATEDOR: Doutor Roberto Bazanini- IMES .

Love It and Hate It: Brazilians' Ambiguous Relationship with Disney.

by Raul Reis, PhD -California State University, Monterey Bay.Institute for human communication.

Abstract

This paper examines the relationship between Brazilian audiences and the multifaceted Disney entertainment conglomerate by employing multiple methodologies and sources of information. Besides looking at some patterns of consumption of Disney services and products by Brazilian audiences, the main question asked here is: What are some of the possible explanations for the Brazilians' lasting fascination with Disney? Methodologies employed in this paper included research questionnaires, as well as observation, and informed analysis of this cultural phenomenon. ( Research questionnaires were applied in Brazil by Prof. Robert Elitio de Santos, under the supervision of Prof. Flavio Mário de Alcântara Calazans.)

Love It and Hate It: Brazilians’ Ambiguous Relationship with Disney

by Raul Reis, Ph.D.

Faculty California State University, Monterey Bay, Institute for Human Communication[1]

100 Campus Center, Bldg. 2

Seaside, CA 93955

USA

(831) 582 4215

raul_reis@monterey.edu




Ilustração feita por Renê Dalton
Ilustração feita por Renê Dalton
Ilustração feita por Renê Dalton
Ilustração feita por Renê Dalton